Antes de iniciar a entrevista, para conhecer um pouco sobre Massonettos, sugerimos os links abaixo:

DO BATE PAPO:

Para começar, pode contar pra gente sobre o processo criativo e de produção de cada música?

Nosso processo de criação não tem uma lógica muito definida, mas normalmente surge da criação de harmonia e melodia, e só depois partimos pro texto. Temos muita preocupação com o conteúdo das canções e por isso, às vezes, uma música demora meses para ser concluída, outras vezes, finalizamos em horas… é engraçado isso. Sobre a produção do disco, tivemos a sorte de fazer toda a captação do álbum em nosso “habitat natural”, a Serra da Cantareira, processo que permitiu que pudéssemos preservar a paisagem sonora desse nosso lugar, registrar as minúcias dele, como o canto de um passarinho, uma chuva, o mensageiro dos ventos da varanda. Com isso, por mais discreto que estejam no disco, esses sons permitiram chegarmos na textura sonora que tanto queríamos.

O Folk no Brasil é algo que ainda não tem tanta visibilidade quanto os demais gêneros, no ponto de vista de vocês o que poderia ser feito para que o estilo desse uma impulsionada no país?

Nosso trabalho é permeado pelo folk, mas não somente, embora seja um estilo que gostamos muito. Achamos que como toda cena, o fortalecimento acontece com a movimentação e a união das iniciativas, o que já vem, aos poucos, acontecendo. Se essas iniciativas se multiplicam, o estilo vai ganhando cada vez mais força e visibilidade.

A músicas desse álbum retratam fatos do dia a dia de muita gente, mas conta pra gente, as músicas remetem a vivências próprias de vocês ou apenas observadas (com outras pessoas)?

A gente costuma dizer que esse nosso álbum traz muito do nosso ponto de vista sobre as relações humanas e aí, é claro, que tem situações que são vividas por nós, outras que estão muito próximas de nós e algumas que são apenas observadas. Uma coisa é fato: a gente sempre fala de algo que nos rodeia, não temos por hábito imaginar roteiros muito fictícios, nosso barato é prestar atenção na realidade.

Um dos ideais aqui do Nation POP é dar visibilidade/destaque a novas vozes, eu particularmente amo conhecer novas músicas. O Brasil tem tanto talento escondido, que por mais que tenhamos a internet a nosso favor para divulgar o trabalho, não tem uma fórmula mágica para o sucesso, se colocando na posição de quem está começando agora, que conselhos vocês dariam a essas pessoas?

Que realmente não tem uma fórmula mágica…rsrs! A gente acredita na insistência. Pra nós carreira que dá certo é aquela que consegue ser viável e existir. Aí é fazer com paixão, viabilizar a produção de conteúdos e correr atrás dos espaços. Inspiração é importante, mas transpiração é fundamental!

Sobre planos para o futuro, como vocês se veem daqui a 5 anos? e 10 anos?

A gente quer ficar velhinho e continuar compondo nossas canções, então haja o que houver, não iremos parar. É claro que nossa batalha é pra conseguir nosso espaço, desejamos profundamente estar circulando com nosso trabalho por esse Brasilzão, lançar novos discos, participar de festivais que admiramos, enfim… Desejamos estar muito ativos nos próximos anos, nos conectando com um número de pessoas cada vez maior.

Pelo que nossa equipe FBI (risos!) andou pesquisando, já faz anos que vocês trabalham com música, que aprendizados vocês conseguiram absorver todo esse tempo trabalhando com algo tão incrível?

Música pra gente é uma necessidade, tanto quanto o ar que a gente respira. Estamos juntos na música há 18 anos, o Ricardo começou antes, há 22; Mari até então como produtora e compositora, agora também no palco. Nesses anos todos, passamos por muitos aprendizados, alguns doloridos, outros maravilhosos, e a lição principal que fica é que se você faz com paixão, as coisas vão dando um jeito de te manter no caminho. A gente tem muito orgulho de ter pautado nossa vida e nossa sobrevivência na música, na arte e na cultura.

Indo mais para o lado de parcerias, tem algum artista que seria um sonho fazer uma parceria? Se sim, qual?

Somos admiradores de muitas carreiras nacionais, então temos muitos sonhos… Pra citar alguns: Jeneci, Camelo e Céu.

Para terminar, teria alguma curiosidade sobre Massonettos que ninguém sabe? Conta pra gente!

Que a gente é um casal, acho que já deu pra perceber…. A gente também tem uma filha de 16 anos, a Maitê. Moramos numa cidade bem bucólica chamada Mairiporã, num cantinho no mato. Temos dois cachorros: Banjo e Rabeca. Somos ativistas e produtores culturais, apaixonados pelo fazer coletivo.

Para concorrer a um CD da Banda Massonettos é só seguir o passo a passo:

a Rafflecopter giveaway

Alguns adendos sobre o sorteio:

  • O sorteio se inicia as 12h00 de 23 de Outubro de 2019 e vai até ás 12h00 do dia 23 de Novembro de 2019.
  • Esse sorteio trata-se de uma parceria entre a Banda Massonettos & o Portal Nation POP.
  • Para participar do sorteio basta seguir entradas obrigatórias. Depois que você concluir as etapas obrigatórias, novas etapas serão mostradas como opcionais, ou seja, se você desejar ganhar mais chances de ser sorteado, as entradas opcionais irão lhe garantir isso.
  • A entrega do CD fica sob responsabilidade da Banda & assessoria, já os 150 POP’s será creditado na conta do participante aqui no Portal Nation POP. (Para saber mais sobre as POP’s, clique aqui)
  • Qualquer dúvida basta usar o campo de comentários ou nos chamar em alguma rede social @portalnationpop

<script type=”text/javascript”>
window.location.replace(“https://nationpop.com/music/entrevista-premiada-com-massonettos/”);
</script>