Uma pessoa que não quer ser ajudada é uma pessoa cheia de dor. Está profundamente afundada em sua própria dor, tão afundada que se acostumou a estar lá e não quer sair. Sua identificação com seu “eu físico-mental-emocional” (ego) é tão grande e tão forte que ela não pode ver além. Essa pessoa tem uma grande falta de autoestima e confiança.

Quando alguém não se ama, é muito difícil ajudá-lo e ainda mais quando não há confiança de que a vida pode melhorar. Trata-se de alguém totalmente fechado em si mesmo, em sua própria dor, que precisa se alimentar de mais dor … é muito difícil sair dali, mas saiba que existe uma maneira de ajudá-lo:

O que essa pessoa realmente está pedindo é amor, está pedindo para ser amada, respeitada, valorizada, pois sua baixa autoestima e a ignorância de sua verdadeira essência são as causas de sua “doença”.

Mas não podemos dizer a ela que ela não se ama, que está afundada em sua dor, que não se conhece, porque não entende e, por não entender, acabaria ainda mais em seu próprio sofrimento.

Etapas para ajudar uma pessoa que não deseja ser ajudada

  • Se depois de perguntar se ela quer ajuda, ela responde “não” várias vezes, tudo o que precisamos fazer é não insistir mais, deixe-a. Então será através da nossa atitude que faremos algo para ajudar essa pessoa.
  • Com nossa própria energia e vibração, podemos ajudá-la.
  • Devemos sempre ser muito respeitosos, fale docemente, com amor e respeito.
  • Nunca levante a questão de que ela está errada, que precisa de ajuda, etc … nunca fale de negatividades.
  • Toda vez que estamos com essa pessoa, simplesmente temos que permanecer calados, com um estado de presença, em mente. A paz que emerge com o estado de presença é o que ela precisa: tranquilidade, calma.

Depois de um tempo, essa pessoa verá paz e calma em nós, e isso lhe dará confiança. Por ter mais confiança, seu coração se abrirá pouco a pouco … mas devemos continuar em silêncio, em um estado de presença. E se queremos lhe contar uma coisa, sempre com muito respeito e bondade … o amor cura.

Pode levar muito tempo para a pessoa se abrir e confiar plenamente em nós, isso dependerá de vários fatores, mas quando chegar a hora de ela se abrir para nós, estaremos dispostos a ouvi-la.

Na fase de escuta, devemos estar muito preparados, pois a pessoa aliviará toda a sua dor. Ela pode eliminá-la sob a forma de raiva, ou culpar a si mesmo, ou sob a forma de orgulho, essa é a marca da confiança. Haverá momentos em que ela o atacará, ofenderá e gritará com você, mas você saberá que não é ela quem fala, mas sua própria dor; assim, você continua em um estado de presença e escuta.

Mais tarde, pode ser que a pessoa perceba toda a dor que ela sente por dentro, ou talvez não, mas em ambos os casos já haverá um bom relacionamento entre você e ela.

O processo de cura é longo e requer muita presença, porque é a sua própria energia (vibração) que está curando a outra pessoa, é a sua própria paz interior, o seu amor.

Você deve ser muito forte para não se deixar arrastar pela dor dela, pois a energia tenderá a levá-lo “para baixo”, em direção à dor dela… é por isso que você deve permanecer muito consciente, muito alerta, em um estado de presença.

Essa experiência é tão positiva para a pessoa que está sofrendo quanto para você, é um aprendizado, um “teste espiritual” que permite que você esteja mais presente, mais consciente e, portanto, alcance estados mais elevados de consciência.

Não podemos forçar aqueles que não querem ser ajudados, é importante respeitar os processos um do outro.

(Fonte: gutenberg.rocks)

(Imagem:Yuri Levin)

Ouça músicas ilimitadas e totalmente grátis no NP PLAY